Blog Archives

Luciane conta um pouco sobre como a arte entrou em sua vida.

A exposição “Outopos”, em cartaz na Sala de Cultura Leila Diniz, tem autoria dos irmãos Carlos e Luciane Valença. Neste vídeo, Luciane conta um pouco sobre como a arte entrou em sua vida.
Para conferir o trabalho de Carlos e Luciane: a mostra vai até o dia 9 de dezembro de. O horário de visitação é de segunda à sexta-feira, das 10h às 17h, com entrada franca. Esperamos por sua visita!

Advertisements

Neptune Eyes

 

Neptune eyes

Insira uma legenda

‘Neptune Eyes’ by Luciane Valença
(aquarela, posca e grafite sobre papel)
Jul/2016

Elas por Elas

Convite

Maria Esther Bueno, Aída dos Santos, Marta Vieira, Maria Lenk, Daiane dos Santos. Ao ler esses nomes, vem instantaneamente o mesmo pensamento a cabeça: todas são atletas brasileiras. Porém, o artista e curador Zé Roberto Graúna saiu do senso comum e as enxergou muito além de suas habilidades como esportistas. É exatamente isso que ele se propõe a mostrar em “Elas por Elas: As atletas brasileiras por nossas artistas”, a próxima exposição da Sala de Cultura Leila Diniz.

No clima dos Jogos Olímpicos Rio-2016, a mostra, que vai do dia 13 de julho a 11 de agosto, reunirá 45 obras que buscam representar as atletas brasileiras através do olhar de nossas artistas. Além de 38 atletas que fizeram história, a árbitra de futebol Asaléa dos Santos e a jornalista Marilene Dabus, terão suas trajetórias e seu desenvolvimento no cenário esportivo representados através de caricaturas, ilustrações, esculturas e cartuns por diversas mulheres artistas de diferentes regiões do Brasil. “Elas por Elas” é a visão da arte feminina na participação da mulher no esporte nacional.

A mostra conta com obras de 45 artistas. São elas: Ana Cristina Maciel, Andréa Stelling, Camilla Sanpe, Carla Guidacci, Carnelós, Cida Calu, Claudia Kfouri, Daiana Oliveira, Dária Lorena, Deborah Trindade, Fani Loss, Fernanda Ambrosio, Flávia Pina, Gisele Henriques, Janaina Bruno, Juliana Colombo, Kamilla Pavão, Lidiane Dias, Lidiane Dutra, Lili Detoni, Liliana Ostrovsky, Liz Minelli, Lorena Kaz, Lu Martins, Lu Valença, Luciana Oliveira, Márcia d’Haese, Marcia Mendes, Maria Rita, Maryangela, Meiriele de Medeiros, Mika, Mônica Fuchshuber, Nat Forcat, Nice Lopes, Noelle Porto, Patricia Brasil, Rosali Colares, Rosalina Brito, Sahar Ansari, Shirley Fontoura, Suélen Becker, Verônica Saiki, Vick Mattias e Yara Souza.

O evento de abertura da exposição acontecerá no dia 13 de julho, às 18h, na Sala de Cultura Leila Diniz. A entrada é GRATUITA! 

Cultura Leila Diniz

Rua Professor Heitor Carrilho, 81, 24.030-230 Niterói

Delivery

Título: ‘Delivery’
Técnica: acrílica s/ tela
Dimensões: 55x46cm
Luciane Valença / 2016
Status: Obra à venda
Informações: lucianevalenca@gmail.com

Delivery

Luciane Valença

Luciane Valença

Luciane Valença is part of the new generation of artists niteroienses that has been gaining strength everywhere and doing a job that is a pleasure to see. The independent scene is growing every day with quality work in music, handicrafts, gastronomy and the arts. Our thing. Our people. Silver home.

Born in Niterói in 1975, designer, visual artist and illustrator Luciane Valença works with visual communication for over 15 years. Founder of Atelier Valença & Arts, along with his brother, artist and restorer Carlos Valença, has been highlighted in the national art scene with a unique style. His influences, noticeable in his features, go through Art Nouveau, Futurism and Surrealism, creating a unique style.

Always mixing the same brush stroke in tints that seem to not have a beginning or end, marked by strong lines and contrasts of light and tones. Figurations and stories that invite us to a fantastic reality of a very particular world, of plastic beauty with depth, proposing a reflection on the emotions, daily life and psyche.

Valença brings to lovers of good painting aged news arising from inspirations, aspirations, desires, quirks and own emotions. It is part of a generation of talented artists willing to indulge in aesthetic revolution with sole intent to demolish the convenience in creation. There is color in Niteroi. And you could not even leave to get close!]

LUCIANE VALENÇA

email: lucianevalenca@gmail.com

Instagram – luvalenca

Facebook – http://www.facebook.com/lucianevalencaarts

 

 

No mês da mulher, Luciane Valença expõe ‘Poéticas’, pinturas com temática feminina

exposição Luciane Valença

A nudez da alma feminina, na arte escrita, falada e visual, percorre ao longo da história uma trajetória que causa profundo interesse e mistério. O desvelamento desse universo feminino, tão exaltado, cantado, poetizado e colorido, ainda esconde nuances sutis que nos brindam com novos encantamentos. Na mostra “Poéticas”, em cartaz de 1º a 30 de março das 10h às 19h no bistrô Maison Vitalité (Rua Dr. Celestino nº 122 cobertura 1406, centro de Niterói), a artista plástica Luciane Valença debruça-se na essência de seu próprio feminino.

Musas, deusas, heroínas e amantes ilustram as múltiplas faces que definem a lapidação única da joia que compõe cada mulher. Em uma sociedade onde muitas vezes se veem os papéis trocados ou velados, a necessidade de uma essência feminina nos convoca a um resgate que reafirme essas características. A mulher aguerrida, romântica, que sofre e conquista, é valorizada em todas as suas faces nos traços de Luciane Valença, marcando o valor e o direito de ser mulher em toda a sua plenitude.

Luciane Valença II

Sobre a artista – Designer, artista visual e ilustradora, a niteroiense Luciane Valença tem 41 anos e trabalha com comunicação visual há mais de 15 anos. Fundou o Atelier Valença & Arts com o irmão, artista plástico e restaurador Carlos Valença. Suas influências, perceptíveis em seus traços, passam pelo Art Noveau, Futurismo e Surrealismo, criando um estilo único. Figurações e histórias que nos convidam a uma realidade fantástica de um mundo muito particular.

Exposição Poéticas
de 1 a 30 de março
Horário de visita: de 2ª a 6ª das 10h às 19h
Local:  Bistrô Maison Vitalité

Rua Dr. Celestino 122 cobertura 1406 – Centro, Niterói.
(Edifício iOffices, em frente à Sociedade Fluminense de Fotografia)

Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?

“Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?”
– Frida Kahlo
(“Asas Para Kahlo” por Luciane Valença – lápis de cor sobre canson)
Série: PoéticasFrida Kahlo Luciane Valença

Uma visita muito especial

Com um enorme atraso estou postando aqui no blog algumas fotos da visita mediada da Escola Golfinho Feliz na Exposição Cósmicas. Uma experiência singular, onde as crianças fizeram desenhos inspirados nas minhas obras e que ficaram expostos no Instituto Cultural Germânico até o término da exposição.

A criança é o nosso estado natural.

20150713_141933 20150713_142139 20150713_142149 20150713_142823 20150713_143304 20150713_143901 20150713_144510 20150713_144758 20150713_182709 20150713_18275610981959_491108124386474_8249559235954979002_n 11222813_491108114386475_472833209807762224_n 11745350_491034871060466_1596508210657737937_n

Julho/2015

A celebração e preservação da natureza

Posso dizer que este trabalho é um divisor de águas, não por uma maturidade artística, estou longe disso. Mas por uma busca incessante por cores, formas, traços e expressões. De momentos de contemplação pelas copas das árvores em contraste com o céu, ou mesmo pela angústia que me causa a depredação da natureza. Tenho a certeza de que estamos ligados, que somos universos particulares, completos, dentro de um universo maior que é a vida.

Não existem dois seres iguais. Cada ser humano possui um corpo diferente do outro. Temos uma espinha que lembra um tronco, braços que parecem galhos, e cabelos que lembram folhas. Crescemos em direção à luz, da mesma forma que os galhos da árvore esticam-se em direção ao Sol.  Caminhamos sobre duas pernas e vemos muitas coisas, ao passo que nossas irmãs árvores, fixas em um só lugar, recebem alimentação da Mãe Terra constantemente, para que possam repassar aos outros tudo aquilo que recolhem.

O silêncio, o jogo de luzes e sombras, os sons misteriosos criados pelo vento, o ar que respiramos ou os movimentos dos animais criam o cenário perfeito para o intercâmbio entre os homens e os espíritos da natureza. Da contemplação, da energia, da força, da memória afetiva, assim nasceu Cósmicas.

O mundo está repleto de presentes que nos foram concedidos pela natureza.

Celebre e Preserve!

Exposição “Cósmicas”
Instituto Cultural Germânico
Avenida Sete de Setembro, 131
Icaraí / Niterói
Visitação: de 03/07 a 01/08
o Sábados das 11:00 às 16:00
o Segundas, Terças, Quartas, Quintas e Sextas das 15:00 às 20:00
Informações: (21) 2714 – 0879 / galeria@icgermanico.com.br
 
%d bloggers like this: