Blog Archives

MEDITAÇÃO AQUARELADA

shamã

SOLARIS – OBRA DE LU VALENÇA

“Qualquer discussão sobre arte se precede uma afirmação muito básica: a arte não precisa de justificativa – nem por motivos religiosos ou propósitos evangelísticos, nem por fins econômicos ou políticos. A arte é livre e transcende a tudo.

Já que a arte não precisa de justificativa, ninguém precisa se desculpar por fazer arte. Os artistas não necessitam de justificativa, da mesma forma que os açougueiros, os jardineiros, os taxistas e tantas outras áreas não precisam justificar o porquê de estarem fazendo o que fazem.

Existem inúmeras pessoas que buscam na arte um sentido para vida. Essa busca, na verdade, revela uma crise. A arte precisa ter uma mensagem, mas não deve ser didática. Precisa enriquecer a vida. Elevar o espírito. Um poder capaz de nos tirar da miséria humana e apresentar uma beleza sem igual.

Deve-se ressaltar que por mais que haja liberdade na arte e suas variadas funções e interações com a vida e mesmo que não precise se justificar, a arte não é neutra. Ou seja, ela tem um pano de fundo a partir daquele que a produz e a vivência do seu criador.

Quando a arte cumpre seu papel ela faz com que a pessoa aprenda a olhar para dentro para ter condições de olhar para fora de si. Isto pode se chamar de uma das funções da espiritualidade, portanto, a arte é uma forma de disciplina da alma.”

Com essa bela reflexão de Christopher Marques, convido você para vivenciar a Meditação Aquarelada.

Para saber mais, conheça nossa página:
https://aquarelacontemporanea.wordpress.com/

Seja bem vindo, Outono!

“Outono é outra primavera, cada folha uma flor.”

Albert Camus

Outono no Rio ass

Título: Outono no Rio

aquarela sobre papel

21.0 X 29.7 cm

Obra disponível

(Pagamento parcelado no cartão de crédito ou depósito em conta. Consulte o valor através de lucianevalenca@gmail.com)

Entardecer

Caros, estou fazendo arte por encomenda, é só solicitar seu tema. Para facilitar o pagamento, estou aceitando cartão de crédito. Vamos em frente. Paz e Arte!

Título: Entardecer
aquarela e nanquim sobre papel
2017 © Lu Valença
Coleção Particular

entardecer

A obra e a sua referência

slide1

‘O Sonho de Ares’ em aquarela sobre papelslide2

‘Gaia’ em aquarela sobre papel

É só a escuridão da incerteza do amanhã

Balance ilustrada pela poesia belíssima de Carlos Eduardo Leal.

balance-ass

Balance – aquarela sobre papel – ano 2016

Equilibrava-se sobre a tênue esperança guiado pela festa anterior.

Tinha a lua por companhia, mas era dela que sentia falta.

Dentro de si olhava para a lua

E pensava: Ela irá aparecer por detrás da nuvem rosa

Ela irá aparecer para me enfeitiçar

Se eu conseguir permanecer com os guizos de Arlequim

Ela virá cantando baixinho um jazz na madrugada dos meus sonhos.

Sim, ela virá depois da terceira onda deste azul que nos encobre.

Ela virá com seus olhos tristes

Então ela sorrirá porque eu beijarei a tristeza do olhar

Para que eles se abram prevendo que o frágil equilíbrio

É só a escuridão da incerteza do amanhã.

CEL/2016

Hinos Homéricos

Estou dando início a ilustração dos trinta e três hinos homéricos, de autoria anônima – que celebram várias divindades da mitologia grega –  uma coleção de hinos em grego, atribuídos à Homero. Contudo, os estudiosos admitem que os poemas foram escritos por diversos autores antigos de diferentes épocas e, mais amplamente, de regiões distintas entre si. A série referida fará parte da próxima exposição ‘Ou+Topos’, em que terei a imensa honra de dividir com meu irmão, Carlos Valença. Até lá muito estudo e imersão profunda, nesses mitos que causam fascínio até hoje.

Confira as primeiras obras:

Paz e Arte!

%d bloggers like this: