Blog Archives

Signo e Ascendente

 

  • Trabalhos em nanquim e aquarela sobre papel;
  • Acabamento em moldura com vidro;
  • Dimensões 21cmx29,7cm
  • Informações: lucianevalenca@gmail.com
Advertisements

Obras de Luciane Valença e suas referências

Transformar a realidade. Talvez a arte tenha me encantado justamente por isso. Por ser um ponto de fuga, uma ferramenta de transgressão, de sublimação e de cura. Não é sempre que podemos contar com a presença de modelos para estudo e desenvolvimento das obras e neste caso faço uso de fotos. Não tenho compromisso com o realismo, somente com a inspiração. Compartilho com vocês algumas cenas…

Paz e Arte!

 

Não existe nada mais surreal, nada mais abstrato do que a realidade.” Giorgio Morandi.

Desejos Inconscientes

Sonhos e abstrações

Adormecidos e despertos

Elas por Elas

Convite

Maria Esther Bueno, Aída dos Santos, Marta Vieira, Maria Lenk, Daiane dos Santos. Ao ler esses nomes, vem instantaneamente o mesmo pensamento a cabeça: todas são atletas brasileiras. Porém, o artista e curador Zé Roberto Graúna saiu do senso comum e as enxergou muito além de suas habilidades como esportistas. É exatamente isso que ele se propõe a mostrar em “Elas por Elas: As atletas brasileiras por nossas artistas”, a próxima exposição da Sala de Cultura Leila Diniz.

No clima dos Jogos Olímpicos Rio-2016, a mostra, que vai do dia 13 de julho a 11 de agosto, reunirá 45 obras que buscam representar as atletas brasileiras através do olhar de nossas artistas. Além de 38 atletas que fizeram história, a árbitra de futebol Asaléa dos Santos e a jornalista Marilene Dabus, terão suas trajetórias e seu desenvolvimento no cenário esportivo representados através de caricaturas, ilustrações, esculturas e cartuns por diversas mulheres artistas de diferentes regiões do Brasil. “Elas por Elas” é a visão da arte feminina na participação da mulher no esporte nacional.

A mostra conta com obras de 45 artistas. São elas: Ana Cristina Maciel, Andréa Stelling, Camilla Sanpe, Carla Guidacci, Carnelós, Cida Calu, Claudia Kfouri, Daiana Oliveira, Dária Lorena, Deborah Trindade, Fani Loss, Fernanda Ambrosio, Flávia Pina, Gisele Henriques, Janaina Bruno, Juliana Colombo, Kamilla Pavão, Lidiane Dias, Lidiane Dutra, Lili Detoni, Liliana Ostrovsky, Liz Minelli, Lorena Kaz, Lu Martins, Lu Valença, Luciana Oliveira, Márcia d’Haese, Marcia Mendes, Maria Rita, Maryangela, Meiriele de Medeiros, Mika, Mônica Fuchshuber, Nat Forcat, Nice Lopes, Noelle Porto, Patricia Brasil, Rosali Colares, Rosalina Brito, Sahar Ansari, Shirley Fontoura, Suélen Becker, Verônica Saiki, Vick Mattias e Yara Souza.

O evento de abertura da exposição acontecerá no dia 13 de julho, às 18h, na Sala de Cultura Leila Diniz. A entrada é GRATUITA! 

Cultura Leila Diniz

Rua Professor Heitor Carrilho, 81, 24.030-230 Niterói

Delivery

Título: ‘Delivery’
Técnica: acrílica s/ tela
Dimensões: 55x46cm
Luciane Valença / 2016
Status: Obra à venda
Informações: lucianevalenca@gmail.com

Delivery

Luciane Valença

Luciane Valença

Luciane Valença is part of the new generation of artists niteroienses that has been gaining strength everywhere and doing a job that is a pleasure to see. The independent scene is growing every day with quality work in music, handicrafts, gastronomy and the arts. Our thing. Our people. Silver home.

Born in Niterói in 1975, designer, visual artist and illustrator Luciane Valença works with visual communication for over 15 years. Founder of Atelier Valença & Arts, along with his brother, artist and restorer Carlos Valença, has been highlighted in the national art scene with a unique style. His influences, noticeable in his features, go through Art Nouveau, Futurism and Surrealism, creating a unique style.

Always mixing the same brush stroke in tints that seem to not have a beginning or end, marked by strong lines and contrasts of light and tones. Figurations and stories that invite us to a fantastic reality of a very particular world, of plastic beauty with depth, proposing a reflection on the emotions, daily life and psyche.

Valença brings to lovers of good painting aged news arising from inspirations, aspirations, desires, quirks and own emotions. It is part of a generation of talented artists willing to indulge in aesthetic revolution with sole intent to demolish the convenience in creation. There is color in Niteroi. And you could not even leave to get close!]

LUCIANE VALENÇA

email: lucianevalenca@gmail.com

Instagram – luvalenca

Facebook – http://www.facebook.com/lucianevalencaarts

 

 

O livro sobre nada

calmaria

Calmaria (lápis de cor sobre canson)

“É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.
Tudo que não invento é falso.
Há muitas maneiras sérias de não dizer nada, mas só a poesia é verdadeira.
Tem mais presença em mim o que me falta.
Melhor jeito que achei pra me conhecer foi fazendo o contrário.
Sou muito preparado de conflitos.
Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou.
O meu amanhecer vai ser de noite.
Melhor que nomear é aludir. Verso não precisa dar noção.
O que sustenta a encantação de um verso (além do ritmo) é o ilogismo.
Meu avesso é mais visível do que um poste.
Sábio é o que adivinha.

Contemplação

Contemplação (nanquim/grafite sobre canson)

Para ter mais certezas tenho que me saber de imperfeições.
A inércia é meu ato principal.
Não saio de dentro de mim nem pra pescar.
Sabedoria pode ser que seja estar uma árvore.
Estilo é um modelo anormal de expressão: é estigma.
Peixe não tem honras nem horizontes.
Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas quando não desejo contar nada, faço poesia.
Eu queria ser lido pelas pedras.
As palavras me escondem sem cuidado.
Aonde eu não estou as palavras me acham.
Há histórias tão verdadeiras que às vezes parece que são inventadas.
Uma palavra abriu o roupão pra mim. Ela deseja que eu a seja.
A terapia literária consiste em desarrumar a linguagem a ponto que ela expresse nossos mais fundos desejos.

Amanhecer

Amanhecer (lápis de cor sobre canson)

Quero a palavra que sirva na boca dos passarinhos.
Esta tarefa de cessar é que puxa minhas frases para antes de mim.
Ateu é uma pessoa capaz de provar cientificamente que não é nada. Só se compara aos santos. Os santos querem ser os vermes de Deus.
Melhor para chegar a nada é descobrir a verdade.
O artista é erro da natureza. Beethoven foi um erro perfeito.
Por pudor sou impuro.
O branco me corrompe.
Não gosto de palavra acostumada.
A minha diferença é sempre menos.
Palavra poética tem que chegar ao grau de brinquedo para ser séria.
Não preciso do fim para chegar.
Do lugar onde estou já fui embora. ”

-Manoel de Barros

(ilustrações disponíveis – contato:lucianevalenca@gmail.com)

Luciane Valença para Espaço Vivre

Um gostinho em primeira mão do projeto Primavera do Espaço Vivre, com algumas das minhas ilustrações. Elaine Vidal a cada estação do ano transforma seu ambiente em Itaipava com tendências e sugestões de cantinhos bem aconchegantes. Espaço Vivre

Espaço Vivre

Fotos e Composição: Elaine Vidal

Ilustrações: Luciane Valença

Para conhecer mais acesse: Vivre 

Paz e Arte!

Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?

“Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?”
– Frida Kahlo
(“Asas Para Kahlo” por Luciane Valença – lápis de cor sobre canson)
Série: PoéticasFrida Kahlo Luciane Valença

Asas para Kahlo

Bom dia, gente!!
Antes do nanquim, da cor… captar um olhar tão especial como este não é fácil. Estou trabalhando nesta “alma” a mais tempo do que consegui dormir. Uma hora chego lá… paciência!

12096157_523549964475623_5499041451696206763_n
_____________________________
“Asas para Kahlo” – trabalho em andamento
Série: Poéticas
por Luciane Valença

A paixão é o amor que oscila entre o real e o ilusório.

A paixão é o amor que oscila entre o real e o ilusório. Emoção intensa, um entusiasmo ou um desejo sobre qualquer coisa. O termo também é aplicado com frequência para determinar um vívido interesse ou admiração por um ideal, causa ou atividade. Em suma, é um sentimento de excitação incomum ou de forte emoção. Na série que passa por personagens da mitologia grega empreguei cores quentes em contraste com o preto, a cor que na minha concepção é a mais generosa para ressaltar todas as outras. Todas as ilustrações foram executadas com nanquim/ posca e estão disponíveis para venda no tamanho 29,7 X 21cm em couchê180gm².

Contato e encomendas: lucianevalenca@gmail.com

Paz e Arte!

Dríade by Luciane Valença Eudora by Luciane Valença Êxtase by Luciane Valença Musa do Poeta by Luciane Valença Perséfone by Luciane Valença Zeus e Hera by Luciane Valença

Transpiração & Contemplação

As árvores em muitas culturas são carregadas de simbolismo e religiosidade. Para a cultura Maia ela representava a Via Láctea através da Árvore do Mundo,  símbolo maia da criação e da organização da ordem do mundo com os dias e as noites, os astros como o Sol, a Lua e a Via Láctea.

Para além destes exemplos a Árvore da Vida é encontrada em diversas representações visuais e nos mais diversos nomes em diversos lugares e períodos da civilização humana, seja no Egito Antigo, na Mesopotâmia, Grécia, Índia, Escandinávia, China, Indonésia. Na maioria dos casos relacionada a psique e ao divino.  

Frutos, sombra, água, madeira, borracha e a majestosa variedade de tons em suas copas sempre me tomaram muito tempo de contemplação . Mais do que nunca, devemos preservar e educar nossas crianças para que os mesmos erros não sejam cometidos. As senhoras árvores merecem todo o nosso respeito e reverência!

Apresento um pouquinho da série que começa a nascer “Transpiração e Contemplação”.

Paz e Arte!

Tempo Aconchego Cósmica Essência

caminhada Luciane Valença - Sombra e Consolo

Luciane Valença

%d bloggers like this: