Blog Archives

Inconsciente

‘Inconsciente’
aquarela s/papel
Luciane Valença
2017

Octopus ass

Advertisements

Crítica por Paulo Roberto Cecchetti

vernissage-1

Acabamos de receber a primeira crítica da Exposição Outopos. Em primeira mão pra vocês.

OUTOPOS

Irmãos de sangue. Sangram tela e papel em cores fortes. Fundam o Atelier Valença & Arts que encontram em seis anos o profundo mergulho nas artes plásticas, apesar de mundos paralelos. Elos. Ela com suas aquarelas; ele com seus grafites. Limites, não há! Carlos e Luciane Valença trazem, na exposição ‘Outopos’, o lirismo que resulta em uma arte única. Poética. Carlos, artista plástico e restaurador, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ, nos traz com traços expressivos, esboços de desenhos que nos remete ao Renascimento. Luciane, designer e ilustradora, volta suas pinceladas perceptíveis ao campo do Surrealismo, passando pela Art Noveau. Futurismo presente. Esta viagem fantástica, de uma beleza envolvente, une emoção e pisiquê ao cotidiano de suas inspirações. Exposições? Várias. Viajando no tempo temos em ‘Outopos’ a completa visualização de que o sonho abre caminhos para inserir na história da arte a parte que faltava ao conduzir este universo de realizações. #ExpoOutopos. Pronta para ser desnudada.

PRCecchetti Curador e Poeta

O Sonho de Ares

Sonhei um Ares (deus da guerra) sonhando com a paz. A obra faz parte da série Outopos que estará na Sala de Cultura Leila Diniz a partir do dia 7 de novembro.

‘O Sonho de Ares’
aquarela s/papel
Série: Outopos
ano 2016

o-sonho-de-ares-ass

Hermes

hermes-ass

‘Hermes’
aquarela s/papel
série: Outopos
2016

A Nudez da Alma Feminina

CAPA_FEMME

A nudez da alma feminina, na arte escrita, falada e visual, percorre ao longo da história uma trajetória que causa profundo interesse, enigma e mistério. O desvelamento desse universo feminino, tão exaltado, cantando, poetizado e colorido, ainda esconde nuances sutis que nos brindam com novos encantamentos.

A_HORA_DA_ESTRELA

Em Femme Literatus, a artista Luciane Valença debruça-se na essência de seu próprio feminino e assimila fontes de inspiração de outros artistas renomados, que contam sobre o “ser mulher”.

Ana Terra   Rainha Margot

Musas, deusas, heroínas, governantes e amantes ilustram as múltiplas faces que definem a lapidação única dessa joia feminina, que compõe cada mulher. Em uma sociedade em que muitas vezes se veem os papéis trocados ou velados, a necessidade de uma essência feminina nos convoca a um resgate que reafirme essas características.


Tereza de Jorge Amado Nástienka by Lu Valença

A mulher aguerrida, romântica, que sofre e conquista, é valorizada em todas as suas faces no traço de Luciane Valença. Porque o “ser mulher” é compor-se única, em suas múltiplas faces.

helena

Traços que marcam o valor e o direito de ser mulher em toda a sua plenitude.

Paula Muniz

Psicanalista e Mestre em Saúde Coletiva

Revisão : Gustavo Damasceno

Série : Femme Literatus
ilustrações em nanquim
Copyright © 2014 Lu Valença

%d bloggers like this: