Blog Archives

Entrevista

Entrevista gravada em abril de 2016, com a artista visual Luciane Valença. Apresentação de Renata Palmier para a Unitevê, da Universidade Federal Fluminense e TV O FLU.
Assista  no YouTube.

Advertisements

Inspire-se

Para inspirar, alguns ambientes simulados com minhas obras em nanquim ou aquarela.

Informações: lucianevalenca@gmail.com

Extraordinárias

Um pequeno recorte da série “Extraordinárias” que começou a tomar forma e que mais uma vez  a exemplo de “Poéticas”, exalta a mulher. Continuo utilizando a aquarela e o nanquim, com tons e traços mais fortes. Ainda não esgotei todas as possibilidades de ambos. Espero que vocês apreciem e comentem. Paz e Arte!

 

Como Surge a Obra Surreal por Rosângela Vig

Me sinto honrada por ter meu trabalho mencionado no recente artigo da professora de História da Arte, Rosângela Vig. Gratidão mestra!
Para conferir o artigo na íntegra, acesse:
Como Surge a Obra Surreal por Rosângela Vig

Luciane Valença artigo Surrealismo

No mês da mulher, Luciane Valença expõe ‘Poéticas’, pinturas com temática feminina

exposição Luciane Valença

A nudez da alma feminina, na arte escrita, falada e visual, percorre ao longo da história uma trajetória que causa profundo interesse e mistério. O desvelamento desse universo feminino, tão exaltado, cantado, poetizado e colorido, ainda esconde nuances sutis que nos brindam com novos encantamentos. Na mostra “Poéticas”, em cartaz de 1º a 30 de março das 10h às 19h no bistrô Maison Vitalité (Rua Dr. Celestino nº 122 cobertura 1406, centro de Niterói), a artista plástica Luciane Valença debruça-se na essência de seu próprio feminino.

Musas, deusas, heroínas e amantes ilustram as múltiplas faces que definem a lapidação única da joia que compõe cada mulher. Em uma sociedade onde muitas vezes se veem os papéis trocados ou velados, a necessidade de uma essência feminina nos convoca a um resgate que reafirme essas características. A mulher aguerrida, romântica, que sofre e conquista, é valorizada em todas as suas faces nos traços de Luciane Valença, marcando o valor e o direito de ser mulher em toda a sua plenitude.

Luciane Valença II

Sobre a artista – Designer, artista visual e ilustradora, a niteroiense Luciane Valença tem 41 anos e trabalha com comunicação visual há mais de 15 anos. Fundou o Atelier Valença & Arts com o irmão, artista plástico e restaurador Carlos Valença. Suas influências, perceptíveis em seus traços, passam pelo Art Noveau, Futurismo e Surrealismo, criando um estilo único. Figurações e histórias que nos convidam a uma realidade fantástica de um mundo muito particular.

Exposição Poéticas
de 1 a 30 de março
Horário de visita: de 2ª a 6ª das 10h às 19h
Local:  Bistrô Maison Vitalité

Rua Dr. Celestino 122 cobertura 1406 – Centro, Niterói.
(Edifício iOffices, em frente à Sociedade Fluminense de Fotografia)

Paz nas cores

Encontrando na aquarela a suavidade que sempre procurei.

tumblr_ny2fhbObE71rzusr0o1_540

12107867_10206592449623743_5768505065933106957_n

O livro sobre nada

calmaria

Calmaria (lápis de cor sobre canson)

“É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.
Tudo que não invento é falso.
Há muitas maneiras sérias de não dizer nada, mas só a poesia é verdadeira.
Tem mais presença em mim o que me falta.
Melhor jeito que achei pra me conhecer foi fazendo o contrário.
Sou muito preparado de conflitos.
Não pode haver ausência de boca nas palavras: nenhuma fique desamparada do ser que a revelou.
O meu amanhecer vai ser de noite.
Melhor que nomear é aludir. Verso não precisa dar noção.
O que sustenta a encantação de um verso (além do ritmo) é o ilogismo.
Meu avesso é mais visível do que um poste.
Sábio é o que adivinha.

Contemplação

Contemplação (nanquim/grafite sobre canson)

Para ter mais certezas tenho que me saber de imperfeições.
A inércia é meu ato principal.
Não saio de dentro de mim nem pra pescar.
Sabedoria pode ser que seja estar uma árvore.
Estilo é um modelo anormal de expressão: é estigma.
Peixe não tem honras nem horizontes.
Sempre que desejo contar alguma coisa, não faço nada; mas quando não desejo contar nada, faço poesia.
Eu queria ser lido pelas pedras.
As palavras me escondem sem cuidado.
Aonde eu não estou as palavras me acham.
Há histórias tão verdadeiras que às vezes parece que são inventadas.
Uma palavra abriu o roupão pra mim. Ela deseja que eu a seja.
A terapia literária consiste em desarrumar a linguagem a ponto que ela expresse nossos mais fundos desejos.

Amanhecer

Amanhecer (lápis de cor sobre canson)

Quero a palavra que sirva na boca dos passarinhos.
Esta tarefa de cessar é que puxa minhas frases para antes de mim.
Ateu é uma pessoa capaz de provar cientificamente que não é nada. Só se compara aos santos. Os santos querem ser os vermes de Deus.
Melhor para chegar a nada é descobrir a verdade.
O artista é erro da natureza. Beethoven foi um erro perfeito.
Por pudor sou impuro.
O branco me corrompe.
Não gosto de palavra acostumada.
A minha diferença é sempre menos.
Palavra poética tem que chegar ao grau de brinquedo para ser séria.
Não preciso do fim para chegar.
Do lugar onde estou já fui embora. ”

-Manoel de Barros

(ilustrações disponíveis – contato:lucianevalenca@gmail.com)

Luciane Valença para Espaço Vivre

Um gostinho em primeira mão do projeto Primavera do Espaço Vivre, com algumas das minhas ilustrações. Elaine Vidal a cada estação do ano transforma seu ambiente em Itaipava com tendências e sugestões de cantinhos bem aconchegantes. Espaço Vivre

Espaço Vivre

Fotos e Composição: Elaine Vidal

Ilustrações: Luciane Valença

Para conhecer mais acesse: Vivre 

Paz e Arte!

Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?

“Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?”
– Frida Kahlo
(“Asas Para Kahlo” por Luciane Valença – lápis de cor sobre canson)
Série: PoéticasFrida Kahlo Luciane Valença

Uma visita muito especial

Com um enorme atraso estou postando aqui no blog algumas fotos da visita mediada da Escola Golfinho Feliz na Exposição Cósmicas. Uma experiência singular, onde as crianças fizeram desenhos inspirados nas minhas obras e que ficaram expostos no Instituto Cultural Germânico até o término da exposição.

A criança é o nosso estado natural.

20150713_141933 20150713_142139 20150713_142149 20150713_142823 20150713_143304 20150713_143901 20150713_144510 20150713_144758 20150713_182709 20150713_18275610981959_491108124386474_8249559235954979002_n 11222813_491108114386475_472833209807762224_n 11745350_491034871060466_1596508210657737937_n

Julho/2015

Asas para Kahlo

Bom dia, gente!!
Antes do nanquim, da cor… captar um olhar tão especial como este não é fácil. Estou trabalhando nesta “alma” a mais tempo do que consegui dormir. Uma hora chego lá… paciência!

12096157_523549964475623_5499041451696206763_n
_____________________________
“Asas para Kahlo” – trabalho em andamento
Série: Poéticas
por Luciane Valença

Brumas em uma parede muito especial

12108275_523744047789548_6836443768061213287_n

Hoje tive o prazer e alegria de fazer a entrega do “Brumas” pra um casal muito especial e querido. A primeira obra de arte adquirida após o casamento e espero que seja símbolo de união e traga sorte para essa caminhada que promete ser uma das mais felizes! Agradeço a Paula e Carlos pelo prestígio, pelo carinho e por acreditar que sou capaz de criar algo belo e a altura de um lar tão amoroso como o deles!
Paz e Arte!
……………………………………
Brumas por Luciane Valença
(óleo e pasta dourada sobre painel de eucatex reciclado)
Status: Vendido

A celebração e preservação da natureza

Posso dizer que este trabalho é um divisor de águas, não por uma maturidade artística, estou longe disso. Mas por uma busca incessante por cores, formas, traços e expressões. De momentos de contemplação pelas copas das árvores em contraste com o céu, ou mesmo pela angústia que me causa a depredação da natureza. Tenho a certeza de que estamos ligados, que somos universos particulares, completos, dentro de um universo maior que é a vida.

Não existem dois seres iguais. Cada ser humano possui um corpo diferente do outro. Temos uma espinha que lembra um tronco, braços que parecem galhos, e cabelos que lembram folhas. Crescemos em direção à luz, da mesma forma que os galhos da árvore esticam-se em direção ao Sol.  Caminhamos sobre duas pernas e vemos muitas coisas, ao passo que nossas irmãs árvores, fixas em um só lugar, recebem alimentação da Mãe Terra constantemente, para que possam repassar aos outros tudo aquilo que recolhem.

O silêncio, o jogo de luzes e sombras, os sons misteriosos criados pelo vento, o ar que respiramos ou os movimentos dos animais criam o cenário perfeito para o intercâmbio entre os homens e os espíritos da natureza. Da contemplação, da energia, da força, da memória afetiva, assim nasceu Cósmicas.

O mundo está repleto de presentes que nos foram concedidos pela natureza.

Celebre e Preserve!

Exposição “Cósmicas”
Instituto Cultural Germânico
Avenida Sete de Setembro, 131
Icaraí / Niterói
Visitação: de 03/07 a 01/08
o Sábados das 11:00 às 16:00
o Segundas, Terças, Quartas, Quintas e Sextas das 15:00 às 20:00
Informações: (21) 2714 – 0879 / galeria@icgermanico.com.br
 

Dia dos Namorados com Arte

Os quadros iluminados estão disponíveis e com 50 % de desconto. Aproveite!
dia dos namorados
Informações: lucianevalenca@gmail.com 
Para ver as obras em tamanho ampliado clique no link

A paixão é o amor que oscila entre o real e o ilusório.

A paixão é o amor que oscila entre o real e o ilusório. Emoção intensa, um entusiasmo ou um desejo sobre qualquer coisa. O termo também é aplicado com frequência para determinar um vívido interesse ou admiração por um ideal, causa ou atividade. Em suma, é um sentimento de excitação incomum ou de forte emoção. Na série que passa por personagens da mitologia grega empreguei cores quentes em contraste com o preto, a cor que na minha concepção é a mais generosa para ressaltar todas as outras. Todas as ilustrações foram executadas com nanquim/ posca e estão disponíveis para venda no tamanho 29,7 X 21cm em couchê180gm².

Contato e encomendas: lucianevalenca@gmail.com

Paz e Arte!

Dríade by Luciane Valença Eudora by Luciane Valença Êxtase by Luciane Valença Musa do Poeta by Luciane Valença Perséfone by Luciane Valença Zeus e Hera by Luciane Valença

CATÁLOGO EXPOSIÇÃO “MAIS AMOR, POR FAVOR”

Luciane Valença

Faça o download do catálogo das obras da série “Mais Amor, Por Favor”, em exposição no Espaço CDN de Artes. Para saber condições de pagamento, entre em contato através de arteluciane@gmail.com ou pelo whatsapp +55 21 981401850.

CATALOGO LUCIANE VALENÇA

Endereço Espaço CDN de Artes ( Centro de Dança Niterói)

Rua Mém de Sá, nº 79 – térreo

Icaraí – Niterói – Rio de Janeiro

Visitação : de 2ª a 6ª das 8h às 22h

Transpiração & Contemplação

As árvores em muitas culturas são carregadas de simbolismo e religiosidade. Para a cultura Maia ela representava a Via Láctea através da Árvore do Mundo,  símbolo maia da criação e da organização da ordem do mundo com os dias e as noites, os astros como o Sol, a Lua e a Via Láctea.

Para além destes exemplos a Árvore da Vida é encontrada em diversas representações visuais e nos mais diversos nomes em diversos lugares e períodos da civilização humana, seja no Egito Antigo, na Mesopotâmia, Grécia, Índia, Escandinávia, China, Indonésia. Na maioria dos casos relacionada a psique e ao divino.  

Frutos, sombra, água, madeira, borracha e a majestosa variedade de tons em suas copas sempre me tomaram muito tempo de contemplação . Mais do que nunca, devemos preservar e educar nossas crianças para que os mesmos erros não sejam cometidos. As senhoras árvores merecem todo o nosso respeito e reverência!

Apresento um pouquinho da série que começa a nascer “Transpiração e Contemplação”.

Paz e Arte!

Tempo Aconchego Cósmica Essência

caminhada Luciane Valença - Sombra e Consolo

Luciane Valença

A Nudez da Alma Feminina

CAPA_FEMME

A nudez da alma feminina, na arte escrita, falada e visual, percorre ao longo da história uma trajetória que causa profundo interesse, enigma e mistério. O desvelamento desse universo feminino, tão exaltado, cantando, poetizado e colorido, ainda esconde nuances sutis que nos brindam com novos encantamentos.

A_HORA_DA_ESTRELA

Em Femme Literatus, a artista Luciane Valença debruça-se na essência de seu próprio feminino e assimila fontes de inspiração de outros artistas renomados, que contam sobre o “ser mulher”.

Ana Terra   Rainha Margot

Musas, deusas, heroínas, governantes e amantes ilustram as múltiplas faces que definem a lapidação única dessa joia feminina, que compõe cada mulher. Em uma sociedade em que muitas vezes se veem os papéis trocados ou velados, a necessidade de uma essência feminina nos convoca a um resgate que reafirme essas características.


Tereza de Jorge Amado Nástienka by Lu Valença

A mulher aguerrida, romântica, que sofre e conquista, é valorizada em todas as suas faces no traço de Luciane Valença. Porque o “ser mulher” é compor-se única, em suas múltiplas faces.

helena

Traços que marcam o valor e o direito de ser mulher em toda a sua plenitude.

Paula Muniz

Psicanalista e Mestre em Saúde Coletiva

Revisão : Gustavo Damasceno

Série : Femme Literatus
ilustrações em nanquim
Copyright © 2014 Lu Valença

On Skin: Nós somos feitos do tecido de que são feitos os sonhos.

On Skin (óleo/acrílica/spray sobre placa de madeira 110x49cm by Lu Valença)

“Nós somos feitos do tecido de que são feitos os sonhos.”

“We are such stuff as dreams are made on.”

William Shakespeare

Não é sempre que lembro de fazer o registro do processo criativo da minhas obras, mas em “On Skin”, fotografei algumas fases. Obra inspirada na teoria triangular do amor, que é uma teoria do amor desenvolvida pelo psicólogo Robert Sternberg. No contexto das relações interpessoais, “os três componentes do amor, de acordo com a teoria triangular, são a intimidade, paixão e compromisso.”

On Skin (óleo/acrílica/spray sobre placa de madeira 110x49cm by Lu Valença) On Skin (óleo/acrílica/spray sobre placa de madeira 110x49cm by Lu Valença) On Skin (óleo/acrílica/spray sobre placa de madeira 110x49cm by Lu Valença) On Skin (óleo/acrílica/spray sobre placa de madeira 110x49cm by Lu Valença)

A intimidade engloba os sentimentos de apego, proximidade e vínculo; a paixão engloba o sentimento conecto e atração sexual; e o compromisso engloba a decisão de permanecer com outra pessoa, e a longo prazo, o compartilhamento das conquistas e planos com tal.

“A quantidade de amor experienciada depende da força absoluta de tais componentes, e o tipo de amor experienciado depende das forças relativas ao outro.”  Diferentes estágios e tipos de amor podem ser explicados como diferentes combinações dos três elementos; por exemplo, a ênfase relativa em cada componente muda com o tempo como uma relação romântica se desenvolve. Um relacionamento baseado em um único elemento tem menos probabilidade de sucesso do que aquele baseado em dois ou três elementos.” 

Passion / On Skin

Uma foto com as duas faces lado a lado do divisor de ambientes “Passion / On Skin”. Obra realizada em dois momentos 2010 e 2014.
(óleo/acrílica/spray sobre placa de madeira 110x49cm by Lu Valença)
Obra à venda
Valor sob consulta

Exposição Mais Amor, Por Favor de Lu Valença

guia de niteróijornal o globo mais amorestela prestesdiz jornalobras de arte

Espaço CDN de Artes traz exposição sobre Amor

convite_lu

A artista plástica Lu Valença nos convida para uma viagem ao universo amoroso, com a Exposição Mais Amor, Por Favor.

“O amor é vital para nossas vidas como o ar, e é notoriamente reconhecido que sem amor a criatura não sobrevive. Falo do amor das mais diversas formas: amor físico, amor platônico, amor materno, amor à vida.” conta Lu.

Lu Valença expõe suas obras no Espaço CDN de Artes, no período de 18 de outubro a 18 de dezembro. Na exposição “Mais Amor, Por Favor”, ela busca dialogar com o público sobre a importância do amor em nosso equilíbrio.

Suas obras carregam uma profundidade que nos leva a refletir acerca das emoções, das relações, e da busca do amor como caminho para a felicidade. Através de sua exposição, ela espera atingir o público e incentivá-lo a pensar sobre as diferentes formas de amor e sua universalidade.

A abertura da exposição será no dia 18 de outubro às 19h e contará com performance de Gabriel Bellas e canções interpretadas por Martinha & Trio.

Serviço:
Vernissage: 18 de outubro às 19h (término às 22h)
Visitação: até 18 de dezembro
Dias e Horários: de 2ª a 6ª das 8h às 11h e 14h às 22h
sábado das 11h às 20h (sábado)
Local: Centro de Dança Niterói
Rua Mem de Sá, nº79 – Térreo / Icaraí
ENTRADA FRANCA

Sobre Lu Valença:

http://instagram.com/luvalenca/
https://lucianevalencaarts.wordpress.com/
https://www.facebook.com/lucianevalencaarts

Em pequenos goles

Chaplin by Lu Valença Einstein by Lu Valença 

Frida by Lu Valença Hitchcock by Lu Valença

 TARSILA by Lu Valença Gandhi by Lu Valença

Van Gogh by Lu Valença Monroe by Lu Valença 

Madonna by Lu Valença

Projeto Goles de Arte

by Lu Valença

 

Sala de Cultura Leila Diniz traz exposição sobre autoconhecimento

Sala de Cultura Leila Diniz traz exposição sobre autoconhecimento
A artista Luciane Valença nos convida a olhar o espelho e refletir sobre o que somos

Lu ValençaA arte é um retrato do seu artista. É isso que diz Luciane Valença, que expõe suas obras na Sala de Cultura Leila Diniz de 5 a 29 de agosto. Na exposição “Sinuoses”, ela busca dialogar com o público sobre autoconhecimento, solidão, pensar e sentir.
“É um trabalho ligado ao momento. Falo sobre solidão, silêncio e introspecção. Para mim, é um tratamento através da arte”, conta Luciane.

Em suas pinturas, a artista utiliza elementos mínimos, simples, uma forma de arte minimalista. Figuras, rostos e fragmentos, como um olho ou uma boca, ou até mesmo dois rostos que misturam o mesmo traço do pincel em matizes que parecem não ter um começo ou fim. Sua arte é analítica: através da figuração, representa emoções e paixões viscerais.

Suas obras carregam uma profundidade que nos leva a refletir acerca das emoções, do cotidiano, de tudo que faz parte do nosso psiqué. As influências perceptíveis em seus traços decorrem de um estilo de vida, influências culturais e, sobretudo, sensibilidade. Os artistas que inspiram Luciane são Van Gogh, Gustave Doré, Frida Kahlo, Rembrandt e Caravaggio. Através de sua exposição, ela espera atingir o público e incentivá-lo ao autoconhecimento.

“Espero passar que existem vários caminhos, e cada um busca a sua forma de ser feliz. Somos o resultado de nossas decisões”.

SINUOSES
Serviço
Exposição Sinuoses
Local: Sala de Cultura Leila Diniz
Endereço: Rua Professor Heitor Carrilho 81, Centro de Niterói.
Data: 5 a 29 de agosto
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 17h.
ENTRADA FRANCA

O cinema da década de 1920

Salomé

Salomé ilustração em nanquim sobre papel by Luciane Valença Disponível / For sale

cinema da década de 1920 foi caracterizado pelo início do cinema falado, que provocou uma mudança nos hábitos daqueles que frequentavam e faziam ocinematógrafo. Época em que se popularizava o chamado american way of life, as bandas de jazz e a ousadia na moda, que vigorou até a grande Crise de 1929.1 O maior ídolo é Rodolfo Valentino, que em 1921 estreia O Sheik,.2

Ao longo desta década vários artistas se consagram, como Charles ChaplinGreta GarboBebe Daniels e outros; é fundada a Metro-Goldwin Mayer Corporation.2

O Cantor de Jazz, com Al Jolson, inaugura o cinema sonoro, em 1927,2 mas até sua popularização era comum as salas de exibição manterem um pianista para tocar durante a projeção da película.3

Na animação o Fleischer Studios revoluciona os desenhos animados.4 Por outro lado, o Gato Félix (lançado em 1919) tem nos anos 1920 o seu período de maior sucesso, sendo o personagem mais difundido dos desenhos.5

Os melhores filmes desta década foram, resumidamente: O Gabinete do dr. Caligari, de 1920; Encouraçado Potemkim, de 1925; no mesmo ano a obra-prima de ChaplinA Corrida do Ouro e O Fantasma da Ópera, de Rupert Julian.6

(fonte: wikipedia)

6

Senhoras ilustração em nanquim sobre papel by Luciane Valença Disponível / For sale

5

Film Noir (nankin on paper, size A4) © Luciane Valença / 2014

 

Paz e Arte

A Paciência e a Roda do Tempo by Luciane Valença

A Paciência e a Roda do Tempo by Luciane Valença

A Paciência e a Roda do Tempo
(acrílica/óleo/pasta dourada sobre tela painel – 120x80cm)
by Lu Valença / 2014

%d bloggers like this: